23.10.11

Clave de Garoa



Tão bela, tão franca
Me domina, me tranca
Me pinta de rosa,
Mas chama de branca
Na Cama
Camaleão de sentimentos me sinto ao seu lado
Perdido, mudando, não tenho estado
Físico
E fico explícito
Intrínseco
Mais molhado que chuva
Miúda entre nós
Na suas mãos grandes
Que me apertam
E sou então
De novo
Meu velho eu
Seu.

5 comentários:

  1. Meu.
    Só meu, pode todo mundo tirar o olho.

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  3. Tenho uma inveja de pessoas que conseguem fazer esse jogo de palavras, que quando a gente lê ouve o ritmo da coisa, sabe? Parabéns!

    ResponderExcluir
  4. Sem o que comentar, lindo poema. Parabéns!
    Ah só para constar, seu blog tem um layout demais. Em outras palavras, perfeito! :)

    ResponderExcluir