31.8.11

O Encantador de Serpentes



A ironia do destino novamente me arrastava para um daqueles encontros que nunca foram marcados – era reinação dele me fazer trocar tantas palavras com um recém não-desconhecido. Informalmente apresentados demais. Não me lembro realmente como fomos parar naquela mesinha com música ao fundo, mas estávamos lá. Se me recordo bem, ele tinha algo parecido com uma mania – um ritual talvez. Olho em mim. Olho no copo. Copo nos lábios, olhos nos meus. Língua nos lábios. Olhos nos meus lábios. Hipnotizante. Não tenho outra palavra para descrever tal rapaz.

A sua voz roçava meus ouvidos, ouriçando-me os pelos da nuca. Eu? Ah, eu desconpassava. Cruzava e descruzava as pernas, cantarolava o shimbalaie do fundo e ele ria – eu ria, bochechas corando. Algo em mim subia, forte. De encantos o culpado não era pobre: labioso ele era; um persuadidor. Em outras palavras, ele tinha um bom papo. Embalou nossa noite e já passava das tantas, depois de tanto taça-vai-taça-vem e conversa-vai-conversa-vem, que nos solicitaram que nos retirássemos do local. A noite não era linda, mas ventava – minha cabeça já estava alta e voava com meu cabelo.

Lembro-me de piscar os olhos por duas vezes. Depois da primeira delas, me deparo com um beijo rotulado descortês; depois da segunda, um empurrão cama a cima. Depois, vários empurrões conjuntos. Não me lembro a quantas ia a temperatura da madrugada, mas meu grau era alto e o quarto suava. Aquilo tudo diluído: a conversa, os olhares. Ele tinha algo parecido com uma mania – um ritual talvez. Mão. Mãos. Corpo. Corpos. Não tenho outra palavra para descrever tal rapaz: Ele era hipnotizante.

3 comentários:

  1. Que título sugestivo! rs'

    Tenho uma grande admiração pelos seus textos, mas os seus contos são mais especiais: são inesquecíveis. Muito envolvente!

    Hugs

    ResponderExcluir
  2. Seus textos são lindos meu amor.
    Meus preferidos são: Um bocado de sentimento e Nós.
    Só pra constar escrevo isso em 13/03/2014, estamos juntos tem 2 anos, resultado dessa noite que vc descreveu ai em cima

    Eu te amo,

    Do seu Encantador de serpentes

    ResponderExcluir
  3. Oi, meu ainda amor.
    Fatalmente voltei a esse texto, não há como negar que ler o que você sentia por mim, pelos seus olhos me atrai.
    Hoje, 16/01/2017, quase cinco anos depois do início do nosso namoro, resultado dessa noite descrita no texto, eu ainda te amo.
    Te amo diferente, com mais intensidade, com mais fantasia e mais realidade.
    Não estamos mais na mesma cidade, mas nesse momento eu escrevo daqui, da cidade a que serei eternamente grato por ter me apresentado você.
    Tanta coisa aconteceu e eu mal posso esperar pra ver o que ainda vai acontecer... Desde que seja com você, tudo vai ser maravilhoso.
    Tanta coisa desde um "sim" feito com a cabeça num restaurante japonês (eu não sabia que vc não gostava de peixe), impossível me esquecer do seu rostinho, ainda juvenil, sorrindo e corando.
    Prometo voltar a esse texto sempre e deixar aqui mensagens pra dizer o quanto eu te amo, mesmo que vc nunca veja nada do que eu escrevi (mentira, eu sempre vou te mostrar).

    Eu ainda te amo, mas mais, eu te amo cada dia mais, eu te amo pra sempre.

    Do seu eterno Encantador de serpentes.

    ResponderExcluir